Ao me deparar com o pôster desse filme, achei que seria mais um daqueles terrores com nomes apelativos e ketchup pra todo lado. Errei. Não é tão simples assim, depois que soube do que se tratava (e também por descobrir que o diretor era Sam Raimi) achei bem atraente e resolvi assistir.

Christine Brown é uma ambiciosa analista de créditos de Los Angeles que tem um namorado encantador, o professor Clay Dalton. Sua vida está muito bem até que a misteriosa Sra. Ganush aparece no banco pedindo uma extensão de sua hipoteca.
Christine deve seguir seus instintos e dar uma chance à velha senhora? Ou negar a extensão para impressionar seu chefe, Sr. Jacks e ficar a um passo de uma promoção? Infelizmente Christine escolhe a última, humilhando a Sra. Ganush e desapropiando sua casa.Como vingança, a velha senhora lhe roga a poderosa maldição de Lâmia, transformando a vida de Christine em um verdadeiro inferno. Assombrada por um espírito do mal e incompreendida por um namorado cético, ela procura a ajuda do vidente Rham Jas para salvar sua alma da maldição eterna. Para ajudar a arruinada Christine a voltar a ter sua vida normal, o médium a coloca em um caminho frenético para reverter o feitiço. Na medida em que as forças do mal se aproximam, Christine tem que enfrentar o impensável: até onde irá para se livrar da maldição?

drag_me_to_hell

Drag me To Hell, tem isso e um Q a mais. A história é diferente, a fotografia surpreende e o elenco trabalha de um jeito irreverente (óh, quantas rimas!). Raimi soube manter um bom ritmo durante a trama e achei que fez uma coisa meio pro lado trash que caiu muito bem para o filme, diga-se de passagem. Como se a velha louca não pudesse ser levada muito a sério e tudo não passasse de uma brincadeira. Um lado cômico, por melhor dizer.

Para os fãs do gênero eu recomendo :)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *