Posso falar? Sozinha já vi coisa beeeem mais paranormal do que isso!

O “filme” é marketing puro, tudo nele é. Desde as propagandas/teasers de tv/trailers com filmagens de pessoas que assistiram à estreia no EUA e se descabelaram aos gritos nas poltronas, até relatos de outros que não aguentaram assistir o filme inteiro. Tipo, não aguentou o quê? Não tem nada pra aguentar!

Haja paciência de ficar uma hora na sala achando que algo vai surpreender e acabar logo com tudo… e nada.

Surgiu num grande boom, o que deu muito resultado, tentou atingir amantes do gênero com chamadas de “melhor filme de terror do ano”; “você nunca viu nada igual”; “os céticos terão outra visão de demônios”… Ok, pena que não ouvi ninguém falar bem depois que assistiu.

Ah, cara. Foi uma grande jogada, gastaram ditos 15 mil dólares e arrecadaram uma grana violenta em pouquíssimo tempo com um punhadinho de marketing.

Mas confesso que me senti frustrada, esperava mais. Caí na deles!

Comentários

2 Comentários | Adicione o seu

  1. Eu vi o trailer e confesso que até fiquei animado em vê-lo, mas agora lendo seu post, vejo que é mais um daqueles filmes que nem na sessão da tarde é capaz de passar… maledetos marketeiros.

  2. […] tom documental, sabe? Essa maldita moda de fazer terror parecendo vídeo caseiro que veio com REC e Atividade Paranormal [podres, diga-se de passagem]: mais susto, mais suspense, mais agoniante e mais falso também! […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *