Arquivo de novembro de 2011

O ilustrador sueco, Mattias Adolfsson, adora desenhar coisas malucas e surreais com um visual meio retrô em seus moleskines. É de dar inveja a quantidade de detalhes com que ele trabalha em cada cena/desenho. E ele só usa lápis e aquarela, gente, dá uma ligada:

Um cara criativo, um artista que é conhecido por fazer esculturas com objetos de madeira, resolve dar vida a caveiras através de objetos de decoração e muita perspectiva, resultado: a Adriana está adorando e quer uma em seu quarto a qualquer custo.

Os caras do Corridor Digital são de Los Angeles e estão ficando famosos na internet, isso porque eles fazem vídeos simulando games de ação com vários efeitos, tudo em terceira pessoa, paguei um pau. Is this real life? Que continuem!

A — Oi. B — Oi. A — O que você tá fazendo aqui? B — Não sei… A — Você tem que saber. Deveria saber. B — … A — O que você quer? B — Você. A — Agora? E você acha que é assim? B — Não, eu não acho. Eu nem sei o que eu acho, eu sei lá. A — Você me confunde demais, sério. B — E eu me confundo também. A — Você não sabe o que quer. B — Eu, eu… A — Aliás, você sabe sim, você sabe o que não Continue lendo

Quem é que não consegue fazer malabares e resolver o cubo de Rubik ao mesmo tempo? Em menos de um minuto então? Meu poupem, né, humanos. Me poupem! O espanhol David Calvo é o rei disso aí, ele com certeza deve chupar cana e assoviar ao mesmo tempo também, vamos aguardar. Fiquei encantada, fiquei com medo, beijos! [youtube video=lhkzgjOKeLs]

O skatista espanhol Kilian Martin Navarro entrou pra escola de ginástica em Madrid aos 10 anos ao mesmo tempo que descobriu a paixão pelo surf. Como morava longe do mar e era impossível praticar o esporte todos os dias, ele se virou no asfalto mesmo – até porque o skate poderia contribuir com o treino de surf. Aos 16 ele descobriu que poderia usar suas habilidades de ginástica no estilo freestyle do skate. Aos 21, Kilian mudou para a Califórnia onde pegou muitos de seus truques e os adaptou para as ruas de skate. O cara tem um estilo próprio Continue lendo

Fechei os olhos e me vi ao seu lado. Estávamos deitados na sua cama, despretensiosamente, assistindo TV. Você mexia nos meu cabelos e eu, com a cabeça no seu ombro, alisava o seu peito enquanto contava como tinha sido o meu dia. Você ouvia e contava o seu também. E eu ouvia. Nossos pés juntos. Nossas pernas cruzadas. Nossas mãos dadas. Nossos dedos entrelaçados. Éramos um. Somente um nós éramos. Eu ria das bobagens que você falava e das piadas com nome de outras pessoas que você fazia. Você ria de como eu ria. Descia levemente o dedo no meu Continue lendo