Coluna de autores convidados, texto por Marcela Oka

E aí você se pega com aquele sentimento… Saudade. E uma saudade inesperada, porque você nem tem tanta certeza do que você tem saudade.
Porque até então você tinha um padrão estabelecido que te deixava metodicamente confortável. Um padrão onde o que tinha acabado, ficava pra trás. Sem mágoas ou raiva, porque a data de validade desses sentimentos já tinha expirado. Então simplesmente ficava pra trás, guardado numa caixa dentro do depósito, como aquelas coisas que a gente não tem onde colocar quando muda pra casa nova, sabe?
A caixa estava no depósito, e eu estava de mudança, então fui até lá pra carregar as caixas pro carro. Deixo uma delas cair e então escapa uma lembrança, daquelas que não poderia ter escapado. Eu abaixo, tento colocar de volta na caixa, mas tarde demais: ela já tava impregnada em mim. Como eu me deixei fugir do meu próprio padrão? Você, você me fez fugir. Você apareceu outro dia querendo me entregar uma outra lembrança que também impregnou em você, mas você não podia lidar com ela, então você veio e devolveu pra mim. Eu guardei na caixa, porque afinal o que acaba fica pra trás…
Mas fato é que eu não me mudei. Fato é que eu levei a caixa pra cima e abri. Fato é que você me deixou com o que você não soube lidar e continua sem querer saber. ‘Melhor deixar lá, no depósito’, você diz. Eu já tomei banho no chuveiro, no mar, na cachoeira, na cândida, mas não sai. Não volta mais pra caixa.
Que você conseguiu arrancar de você e enfiar de volta na caixa, só pra não precisar lembrar; que você consegue não falar sobre isso e fingir que ‘estamos indo bem’, eu aceitei. Só queria a receita pra conseguir também. Você foi e acabou esquecendo de me passar.

Marcela Oka

Comentários

5 Comentários | Adicione o seu

  1. Kyan disse:

    Já comentei como esse texto me lembrou de certas coisas, né, Marselha? AShuASUHsuaHuhASuhSA

    Não sabia que você escrevia, btw :D

  2. Paula G. disse:

    Puta merda, que texto foda.

    Carregado pra caramba. Gostei.

  3. Paula disse:

    Lindo, profundo, intenso, reflexivo. Você tem muito a dizer e nós escutar. Continue….

  4. karen disse:

    Clichê, mas caramba é exatamente isso que gostaria de ler…obrigada por escrever…

  5. Virginia disse:

    Esse texto continua mais vivo do que nunca.Obrigada meu amor por fazer parte da minha vida. TE AMO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *