Arquivo de setembro de 2013

09.09.2013

Deitei, eram 22h10. Peguei o livro no criado-mudo, o marcador não estava nem perto da metade. Abro, página 81: “Florence entrou na sala de jantar: – Boa noite – disse (…)” Boa noite. As letras começam a se distanciar, as palavras perdem o sentido. Leio a frase, mas que frase? Não existe mais pontuação. Preciso cumprir toda a lista de tarefas do trabalho. Metas. Prazos. Hum, que vontade de comer aquele mesmo doce que comi ontem no almoço. Não posso esquecer de comprar o presente de aniversário da Fulana, é semana que vem. Que merda, esqueci de dar parabéns pro Continue lendo