Arquivo de fevereiro de 2015

– Eu adoro a chuva. – Eu adoro você. – Eu adoro trovões. – E eu adoro a tua boca. – Para! – Você não acredita em uma palavra que eu digo? – Eu acredito… Em algumas. – Eu não te entendo. – Não precisa. – Você se fecha aí. – Vai começar… – Foge de mim. – Veja bem. – É verdade. – Verdade que não é mentira. – Sempre tem uma respostinha na ponta da língua. – Afio todo dia. – Tá vendo? – Não. O quê? – Como é insuportável. – Mas você gosta. – Gosto. – Continue lendo

Todo livro guarda uma grande história, não é mesmo? Mas e se os livros não guardassem apenas palavras em suas páginas, e sim, desenhos em suas laterais? A pesquisadora Colleen Theisen encontrou algo incrível escondido em alguns livros do século XIX: pinturas feitas nas margens, que só podem ser vistas quando as páginas são abertas em certo ângulo. A pintura foi encontrada no livro Outono de Robert Mudie na seção Arquivos e Coleções Especiais da Universidade de Iowa. Não custa nada dar uma olhada na estante, vai que tem alguma borda pintada por lá também, né? Via

“Mary começou a gritar. A cortina se abriu mais e uma mão apareceu, empunhando uma faca de açougueiro. E foi a faca que, no momento seguinte, cortou o seu grito. E a sua cabeça.” Como boa fã de terror, não poderia deixar de falar de Psicose aqui no blog. Escrito pelo norte-americano Robert Bloch e publicado em 1959, Psicose despertou a atenção do cineasta (ídolo) Alfred Hitchcock que lançou seu thriller em 1960 mudando a história do cinema e do suspense a partir de então. Sinopse “Psicose conta a história de Mary Crane, que foge após roubar o dinheiro que Continue lendo