Vocês não imaginam o tamanho da minha alegria quando recebi o convite da Darkside Books para – nada mais, nada menos, entrevistar Andrew Pyper! Sim, o autor de O Demonologista que tanto adorei e que entrou nas principais listas de Livros Mais Vendidos no Brasil em 2015.

Clique aqui para ler a resenha do livro O Demonologista

Andrew Pyper

Na entrevista, perguntei para Andrew Pyper sobre o final de O Demonologista; curiosidades sobre o seu novo lançamento brasileiro, Os Condenados; como ele lida com o sobrenatural, sobre seu processo de escrita e muitas outras coisinhas, espero que gostem:

  1. Andrew Pyper! Gostaria de começar com uma confissão: você praticamente realizou um sonho meu lançando o livro com o nome “O Demonologista”, sempre me interessei pelo assunto, então, muito obrigada! Fiquei encantada com a sua escrita e sempre quis bater um papo com você sobre o final do livro. O que você achou das teorias criadas para o final de David Ullman?

Certamente já me perguntaram sobre o fim do livro muitas vezes, já que alguns leitores acharam o desfecho ambíguo, outros misterioso e alguns apenas confuso demais. Eu não quero me aprofundar em explicações, já que minha intenção com o final era ter as crenças do próprio leitor – sua própria jornada de fé – definindo como o livro funciona para ele. É como enxergar uma visão sagrada, ou apenas ler a Bíblia: o que as parábolas significam? Quão literalmente devemos aceitar as metáforas e mitologias bíblicas? Por exemplo, até mesmo cristãos discordam se Jesus de fato ressurgiu dos mortos ou se isso significava um retorno de seu espírito, o impacto duradouro de suas lições. Para mim, o fim do livro é feito para comunicar uma verdade emocional em um primeiro momento, e um fato concreto em um segundo e distante momento.

 

  1. Os fãs estão ansiosos para o lançamento do seu livro Os Condenados aqui no Brasil. A história explora as conexões de amor e ódio entre irmãos gêmeos e eu sempre tive uma certa curiosidade sobre o relacionamento entre irmãos gêmeos pelo fato das ligações serem extremamente mais fortes. O que podemos esperar com relação a isso?

Danny e Ashely Orchard são gêmeos fraternos. Danny sempre esteve à sombra de Ashley – ela é a garota brilhante, a mais bonita, de um jeito quase sobrenatural. Mas Ashley não tem alma. Então quando ambos morrem em seu 16º aniversário em um incêndio misterioso, e Danny volta à vida mas Ashley não, a fúria dela é tão grande que faz com que ela assombre seu irmão e o impeça de ter amigos, família, amor. Mas quando a mulher e a criança pelos quais Danny começa a nutrir sentimentos são ameaçados, ele entende que precisa morrer uma segunda vez para encarar Ashley no submundo. Eu penso em Os Condenados como uma releitura contemporânea e assustadora do mito de Orfeu (e todas as outras histórias sobre buscas no mundo dos mortos).

“Eu sou fascinado pelo sobrenatural,
e encontro enormes possibilidades para ele na ficção (…)”

  1. Uma das coisas que mais gosto no terror é sentir que ele pode ser real e não fantasioso. A história de Os Condenados se passa na cidade de Detroit, o que aproximaria o leitor de um cotidiano verídico, a escolha da cidade foi pensando nisso?

Sim, com certeza. Eu quis descrever um inferno que não seria excessivamente fantástico, não uma história em quadrinhos.

 

  1. Em Os Condenados, o personagem Danny parece condenado à solidão. Você acha que esse é um medo maior até que o medo do sobrenatural?

Em última análise, sim. Eu acho que, de algum modo, todos os meus livros são sobre os horrores de ficar sozinho. Quando você pensa nas motivações subjacentes de grande parte dos monstros – sejam eles a criatura de Frankenstein, Satã, o serial killer sociopata – eles estão todos atuando a partir de uma ausência de conexão, de isolamento. O inferno provavelmente não é cheio de outros pecadores para fazer companhia uns aos outros. O inferno é suportado sozinho.

 

  1. O sobrenatural/paranormal desempenha um papel importante em seu trabalho. Como você lida com o sobrenatural em sua vida pessoal?

Eu sou fascinado pelo sobrenatural, e encontro enormes possibilidades para ele na ficção, já que nela ele oferece maneiras de descobrir um personagem que não seriam acessíveis apenas no rigoroso modo realista. E enquanto eu não tenho uma posição permanente sobre “acreditar” ou não no sobrenatural, eu conheço centenas de pessoas educadas, fundamentadas e razoáveis que já tiveram experiências que elas não conseguem explicar, e elas estão dizendo a verdade. Então eu sou cuidadoso na minha pesquisa e no meu trabalho. Eu nunca fui a um médium, por exemplo, e jamais irei. Nenhum tabuleiro Ouija é permitido dentro de casa. Sem kits de mágica. Sem sessões espíritas.

 

  1. Os Condenados foi elogiadíssimo por vários meios e autores, inclusive Dennis Lehane e Stephen King – dos quais gosto muito também -, invertendo os papéis, se pudesse indicar um livro de terror, qual livro seria?

Há um ótimo livro chamado Come Closer, de Sara Gran, que eu sempre recomendo. Eu não vou dizer mais nada sobre ele, porque é uma leitura breve que você deve experimentar sem qualquer expectativa, mas é formidável.

Autor Andrew Pyper

  1. Agora uma pergunta de fã que também gosta de escrever (ou, pelo menos, arriscar): como é o seu processo de escrita? As ideias, as inspirações, as histórias… No que você pensa primeiro na hora de escrever?

Cada vez mais eu acredito que um escritor tem que saber do que o livro se trata antes de começar a escrevê-lo. Mas o que significa dizer do que o livro se “trata”? É sempre mais complicado do que achamos em um primeiro momento. Muitas vezes (todas as vezes?) que pensamos ter uma ideia para um livro isso é apenas a semente, não o verdadeiro fruto da história. Pode levar tempo descobrir isso. Então eu compartilho a história com amigos, penso em começá-la pelo início, brinco com ela, viro-a do avesso. A história vai te surpreender quando finalmente revelar o que ela quer ser.

 

  1. O tratamento que a DarkSide dá a todos os livros é verdadeiramente especial e “O Demonologista” inclusive ganhou um prêmio de design no Brasil ano passado. O que você acha do trabalho deles com os seus títulos em especial?

Está sendo absolutamente prazeroso ser publicado pela DarkSide! Eles fizeram um trabalho incrível no design e também em alcançar um público engajado no Brasil. Eu recebo tantos tweets e recados inteligentes e genuínos dos  meus leitores brasileiros que eles com frequência me ajudam nos dias em que as palavras não estão saindo com facilidade. Sou muito grato a DarkSide e a todos os meus novos amigos por todo o Brasil.

 

  1. Vimos algumas notícias sobre O Demonologista virar filme algum tempo atrás. Há alguma novidade a respeito disso que você possa compartilhar com os leitores brasileiros?

Eles ainda estão trabalhando no roteiro. Todo mundo parece bem animado com a perspectiva de um filme, mas não possuo detalhes concretos ainda. Eu tento não ficar envolvido demais no processo – isso provavelmente me deixaria maluco!

“O inferno provavelmente não é cheio de outros pecadores
para fazer companhia uns aos outros.  O inferno é suportado sozinho.”

  1. E quanto aos seus próximos projetos ou romances? Você está trabalhando em algo no momento?

Eu estou terminando de editar um novo livro sobre um monstro. Não posso dizer muito mais!

 

Andrew, quero agradecer do fundo do meu coração (e da minha alma, que acredito não ser penada hahaha) por responder às minhas perguntas. Tenho certeza que as pessoas que acompanham o Redatora de M*%$# irão adorar.

O prazer foi todo meu! Muito obrigado pelo seu tempo.

Andrew Pyper (1968) é o premiado autor de seis romances, três deles, incluindo O Demonologista e Os Condenados, estão sendo adaptados para o cinema. Saiba mais em andrewpyper.com.

COMPRAR LIVRO OS CONDENADOS (em pré-venda)
Submarino | Americanas

Book Trailer de Os Condenados

Curta a fanpage da Darkside Books e acompanhe as novidades da editora.

Comentários

5 Comentários | Adicione o seu

  1. Ameeeei a entrevista! Não imaginava que o Andrew Piper fosse tão querido <3 Meu O Demonologista chegou semana passada e o quanto antes quero pegar ele, pra ler Os Condenados já com alguma bagagem do estilo do autor. Deve ser muito lindo se dedicar tanto a um livro e ter ele publicado com todo o capricho que só a DarkSide faz, consegui sentir a felicidade dele na resposta :D

  2. Excelente entrevista.

    Próximo entrevista… Stephen King!? hehehe

    Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *