Early Auden (Em Algum Lugar Nas Estrelas) é considerado um garoto peculiar aos olhos de muitos. Vive sozinho em um cômodo do internato e costuma contar jujubas por cores quando fica nervoso. Além disso, o menino Early também tem algumas regras musicais bastante específicas: ouvir Louis Armstrong às segundas, Frank Sinatra às quartas, Glenn Miller às sextas, Mozart aos domingos e Billie Holiday sempre que estiver chovendo.

O comportamento de Early, é um dos muitos indícios da síndrome de Asperger, uma forma branda de autismo, que só seria descoberta muito tempo depois da Segunda Guerra, e que inspirou personagens já clássicos como o Sr. Spock (Star Trek), o Dr. House e Sheldon Cooper (The Big Bang Theory).

A DarkSide Books lançou dois livros que abordam o assunto de formas bem diferentes e interessantes (e em duas edições lindíssimas, diga-se de passagem) são eles: Em Algum Lugar Nas Estrelas, de Clare Vanderpool e O Menino Que Desenhava Monstros, de Keith Donohue.

EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas

Década de 40, fim da Segunda Guerra Mundial. Em Algum Lugar Nas Estrelas, da autora Clare Vanderpool, é um romance sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença.

O livro traz a história de Jack Baker, cuja mãe faleceu recentemente e foi enviado para um internato militar no Maine pelo próprio pai – um soldado-, que, inclusive, nunca lhe deu a devida atenção. Um turbilhão de sentimentos e bruscas mudanças deixam Jack deprimido, fazendo com que ele se sinta completamente solitário naquele novo lugar. Até que ele conhece Early Auden, o “garoto peculiar” que descrevi no começo do post.

Clique para ver o livro sendo folheado pela Anna Costa

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas-Clare-Vanderpool

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas-

Early tem algumas manias características e, por trás delas, uma obsessão pelo Pi. Ele acredita que o Pi (3,141592…) é muito mais do que um número, como se os algarismos pudessem ser decifrados e contassem a história de um menino chamado Pi e suas várias aventuras explorando o mundo. Por trás de sua genialidade, Early vive praticamente em um mundo particular e tem uma enorme dificuldade de se relacionar com o mundo e de lidar com seus sentimentos e com as pessoas ao seu redor.

comprar o livro
submarino | americanas | fnac

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas-Clare-Vanderpool

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas-Clare-Vanderpool

Jack sempre ouve tudo com muita atenção, mas tem dúvidas quando à veracidade dos acontecimentos, ao contrário de Early. Durantes as festas de fim de ano e férias, Jack e Early são os únicos meninos que ficam na escola (todos os outros alunos voltaram pra casa e famílias nesse período) e partem para incríveis jornadas.

Aventuras, descobertas e amizades verdadeiras. A linha tênue entre realidade e ficção dá um toque mágico para Em Algum Lugar Nas Estrelas.

Título: Em Algum Lugar nas Estrelas
Título original:
 Navigating Early
Autor: Clare Vanderpool
Tradutor: Débora Isidoro
Editora: Darkside Books
Número de páginas: 288
Gênero: Literatura norte-americana; Literatura fantástica
*Livro cedido em parceria com a Darkside Books

 

O MENINO QUE DESENHAVA MONSTROS

“Todos já desenharam monstros na infância, mas poucos conseguiram dar vida a eles.”

O Menino Que Desenhava Monstros

O-Menino-que-Desenhava-Monstros

Assim como em Em Algum Lugar Nas Estrelas, O Menino Que Desenhava Monstros mistura realidade e ficção dentro de uma narrativa própria e intrigante, um suspense psicológico do autor Keith Donohue.

Neste romance, o personagem com síndrome de Asperger é Jack Peter, um garoto de 10 anos que quase se afogou no mar três anos antes. Desde o ocorrido, Jack só sai de casa para ir ao médico e afirma de todo modo que existem monstros embaixo de sua cama. A mãe do garoto sente-se receosa quanto às atitudes do filho, já o pai acredita “ser apenas uma fase”.

Clique para ver o livro sendo folheado pela Pipoca Musical

Keith-Donohue

Keith-Donohue

 

O problema realmente começa a acontecer quando os pais presenciam “coisas estranhas” na casa. Aparições, barulhos e, pior de tudo, tragédias da região em que moram parecem estar relacionadas aos monstros desenhados pelo garoto em seu caderno. Estariam os monstros se tornando reais?

Além dos pais, outro contato do garoto com o mundo é Nick Weller, seu único e melhor amigo.

comprar o livro
submarino | americanas | fnac

O-Menino-que-Desenhava-Monstros

O-Menino-que-Desenhava-Monstros-Keith-Donohue

O livro prende pelo mistério e tem um final absurdamente inesperado, isso se deve ao bom desenvolvimento da história e personagens feito pelo autor. Um dos finais mais surpreendentes que já li na vida, de ficar com a boca aberta mesmo.

Título: O Menino que Desenhava Monstros
Título original:
 Tthe Boy Who Drew Monsters
Autor: Keith Donohue
Tradutor: Cláudia Guimarães
Editora: Darkside Books
Número de páginas: 256
Gênero: Literatura norte-americana; Contos de terror; Monstros
*Livro cedido em parceria com a Darkside Books

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *