“Cada um leva consigo sua história, pensei.
Ninguém é inteiramente ele mesmo.”

No Mar, escrito em 2011 pelo holandês Toine Heijmans, publicado pela editora Cosac & Naify em 2015, sob o título original de Op zee, é o romance de estreia do autor e jornalista. Foi traduzido para diversos idiomas e adaptado para o cinema na Holanda.

Pouco mais de 150 páginas com uma história arrebatadora cheia de reflexões e existencialismo.

Comprar o livro na Amazon

Separei alguns trechos que mais me chamaram a atenção durante a leitura para compartilhar aqui no blog :)

TRECHOS E FRASES DE ‘NO MAR’

“Sobrevive-se graças à rotina. Quando algo não vai bem, é melhor saber exatamente onde cada coisa está. Sem rotina, os pensamentos tropeçam um nos outros. Pensa-se em tudo ao mesmo tempo.” (p.10)

“Me perguntei se seria mesmo uma boa ideia, três meses totalmente sozinho no mar. E seria seguro? Eu tinha lido livros, relatos de velejadores solitários que voltavam diferentes do que quando partiram. Alguns tinham enlouquecido. Outros não conseguiam mais parar de velejar e nunca mais voltaram para casa.” (p.39)

“Comecei a gostar de estar sozinho. Das noites, das luzes, das horas frias entre a meia-noite e as quatro da manhã. O turno do cão. Das ancoragens nas baías sem outros barcos. Das conversas comigo mesmo e com meu veleiro.” (p.41)

“Dei o nome de Ishmael ao meu veleiro em homenagem ao personagem principal de Moby Dick. Ishmael é aquele que no final sobrevive a tudo. (…) Na minha opinião, Moby Dick é o livro mais bonito já escrito sobre um barco e sua tripulação. Por isso usei o nome.” (p.62)

“Durante três meses eu tinha buscado tranquilidade no mar. Mas não consegui realmente encontrar calma. As pessoas com que cruzei no caminho me faziam lembrar do pessoal do escritório. Todo porto e toda ilha estavam cheios de gente. Não tinha como escapar.” (p.68)

“Além disso, cada milha que eu velejava me levava para mais perto do mundo do qual eu fugira.” (p.68)

“Cada um leva consigo sua história, pensei. Ninguém é inteiramente ele mesmo.” (p.87)

“É a mesma coisa quando você está de férias. Você quer sair de férias, mas quando está de férias, quer voltar para casa. Entende? Ou é muito complicado?” (p.95)

“Estou como um idiota no camarote de proa. O tempo virou. O barco se move. Ouço as ondas batendo contra o casco; ouço granizos martelando no convés.” (p.98)

“Grito por ajuda, ainda que não tenha ninguém para escutar. Grito para ouvir a mim mesmo. Sou contra o mar. Eu contra mim mesmo e contra tudo o mais.” (p.121)

Título: No Mar
Título original:
 Op zee
Autor: Toine Heijmans
Tradutor: Mariângela Guimarães
Editora: Cosac & Naify
Número de páginas: 160
Gênero: Ficção holandesa

Comprar o livro
Amazon

Comentários

01 Comentário | Adicione o seu

  1. Alex Veloso disse:

    Lendo os trechos do livro parece interessante. Achei muito bom o segundo trecho citado. Realmente a reflexão é algo que muito contribui para nossa evolução como pessoa, ajudando em várias áreas da vida. Só estou esperando meu próximo pagamento para adquirir o livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *