Posts by Adriana

20ago

Sem açúcar

Atualizado por Adriana 20.08.14 às 09:35
sem acúcar

— Eu preciso me livrar de você. — Mas você nunca me teve. — Por isso mesmo. — Isso o quê? — É autoexplicativo. — Você é complicada. — Eu? — Tá, e vai fazer o quê? — Pensei em desovar seu corpo num lugar aqui perto. — Legal, agora tô tranquilo. — Pode ficar. — Não quero que se livre de mim. — Mas também não quer o contrário. — Isso é verdade… — Eu entendo. Eu sei como é. — Eu sei que você sabe. — Afinal, você, de algum jeito, consegue saber tudo sobre mim. — Isso eu ainda não sei como. — E depois vem dizer que eu sou a complicada. — Eu sou complicado. — ..

Continue lendo »
18ago

Cavanhaque branco

Atualizado por Adriana 18.08.14 às 21:00
cavanhaque branco

Meus dias nascem aos gritos em horários diferentemente desconhecidos. Um estalar de xícaras, soluções, confissões e noções argumentativas sobre a vida. Uma cama por fazer ao som de notícias espalhafatosas. De fundo, um violino entristecido. Roseiras destruídas por mãos finas, mas não tão delicadas. No meu modo, sobreviver com café amargo, cigarro e textos proibidos. Tive pra mim a teoria sobre olhos fechados desgraçados pela explosão de luzes ao abrir qualquer janela entre raios e cruzes. Em cima da mesa o jornal do avesso, meias escuras e ligações perdidas. Desço a rua para comprar pastilhas, caminho sobre os restos de uma fábrica de caráter duvidoso. Num vão de porta, sou atirada a cães e putas. Um homem de cavanhaque branco ..

Continue lendo »
14ago

5 centímetros

Atualizado por Adriana 14.08.14 às 21:32
5-centimetros

Esta chuva de gelo Esta chuva de arrepios Há três quadras e meias daqui Um apartamento Quase vazio Um corpo no tapete vermelho Sangue na escuridão Marcado com as pegadas Do vento Quase sombrio De quem é este corpo Apodrecendo afinal Sorte estar há 5 centímetros De uma faca que corta Na medida exata Adriana Cecchi

Continue lendo »
09jul

Pra me ausentar

Atualizado por Adriana 09.07.14 às 15:30
ausentar-redatora-de-merda

E eu procuro uma distração pra me ausentar da onde eu não quero estar.

Continue lendo »
06jul

#Sorteio ESTANTE DE CLÁSSICOS

Atualizado por Adriana 06.07.14 às 19:00
sorteio-estante-de-classicos

Mais um sorteio aqui no blog e dessa vez com uma meta: assim que a fanpage atingir 5.000 curtidas lindas, sortearei um kit de clássicos essenciais para a sua estante. – Livro “Clube da Luta” (Chuck Palahniuk); – Livro “O Iluminado” (Stephen King); – DVD Trilogia “O Poderoso Chefão” (Francis Ford Coppola) Pra participar é bem fácil: PASSO 1: Curta a página Redatora de Merda no Facebook. PASSO 2: Preencha este formulário. PASSO 3: Compartilhe a foto da promoção publicamente no seu mural do Facebook. PS 1: Não esquecer de fazer o compartilhamento PÚBLICO, para contabilizar e validar o mesmo. PS 2: Não é necessário postar a frase nos comentários da foto na página. Apenas no compartilhamento! PS 3: Menores de idade ..

Continue lendo »
02jul

Sobre apegos, livramentos e lixos recicláveis

Atualizado por Adriana 02.07.14 às 09:00
Sobre apegos, livramentos e lixos recicláveis

Desde pequena, eu sempre gostei desse lance de jogar as coisas fora, sabe? Sair catando bagulho pela casa, arrumar armário, dar tapa na parede, jogar tudo em cima da cama, amassar papel e, em seguida, arremessar no lixo na tentativa de fazer uma cesta. Cesta! Louca? Talvez. Sem pedantismo, poucas sensações podem ser tão boas quanto a de se livrar de lixos, sejam eles recicláveis ou orgânicos, o livramento é uma verdadeira bênção, meu amigo. A partir do momento que àquela coisa, de alguma maneira, não te pertence mais, desapega! Jogue-a fora! Se livra! Bota fogo! Por falta de tchau, adeus! E mete bronca aí nas exclamações porque é um verdadeiro alívio, seja a montoeira de papel acumulado; a camisa ..

Continue lendo »
05jun

Diana

Atualizado por Adriana 05.06.14 às 22:34
Diana

Diana come maquiagem e fica com as bochechas coradas, enquanto todos olham seu salto 15 e suas olheiras marcadas. Diana não adormece. Seu sonhos são sempre arregalados como seus olhos pretos, enquanto vozes lhe incentivam a pensar em coisas más. Diana tem sede. Suas pernas finas estão formigando desde os tornozelos até o final das coxas, enquanto os homens, sem dó, vigiam de longe o colo de suas pérolas aniquiladas. Diana não compreende. Levantar seria o fim, o veludo vermelho chama a atenção. Diana sofre náuseas. Moribunda e brilhante, enquanto os garçons de asas pretas servem copos de prata com líquidos ensandecidos. Diana sofre calada. Um grito rouco assusta os velhos que estão na mesa ao lado. Diana procura pelo ..

Continue lendo »
02jun

Às vezes, o que a gente precisa

Atualizado por Adriana 02.06.14 às 21:00
O que a gente precisa

Às vezes, o que a gente precisa é andar sem rumo pela noite, com passos descompassados sob a luz do luar e uma boa música pra botar as ideias no lugar.

Continue lendo »