Arquivo da Categoria "Música"

[youtube video=mYkhNWIdra0] “You have forsaken all the love you’ve taken Sleeping on a razor, there’s nowhere left to fall Your body’s aching, every bone is breaking Nothing seems to shake it, it just keeps holding on Ah ah ah ah Your soul is able, death is all you cradle Sleeping on the nails, there’s nowhere left to fall You have admired, every man desires Everyone is king when there’s no one left to pawn Ah ah ah ah There is no peace here, war is never cheap here Love will never meet it, it just gets sold for parts You Continue lendo

Após o término do Oasis, Liam Gallagher resolveu continuar sendo foda na música mesmo sem o seu irmão, o Noel. Junto com Gem Archer, Andy Bell e Chris Sharrock ele formou  a Beady Eye! Já falei sobre a banda num post anterior, mas só agora eles lançaram sua primeira música: “Bring the Light“. A primeira impressão que tive foi de uma puuuta mudança se comparada ao som de Oasis, mas gostei! Tem uma pegada bem rockabilly e um baixo firme, sabe? Um som diferente do que vemos por aí… Gostei, gostei e espero ouvir mais em breve! Vale a pena Continue lendo

Uma super votação da NME elegeu as melhores e piores músicas cover’s de to-dos os tempos. Em primeiríssimo lugar ficou a banda Muse com “Feelign Good” (inclusive música tema do filme Sete Vidas, na versão Muse mesmo), originalmente, de Nina Simone. [youtube video=CmwRQqJsegw] Particularmente, eu não sabia que era um cover e gostei bastante da música quando ouvi pelas primeiras vezes – digo pelas primeiras vezes porque hoje não encontro muito paciência para músicas dessa pegada [tô no rock pesado, mano!], mesmo admirando pr’cacete Muse e me arrependendo amargamente por não ter ído ao show. Os Melhores Covers de Todos Continue lendo

Agora me diz quem é o ser humano que nunca ficou com uma música por mais de um dia na cabeça? E, claro, que a maioria são as músicas mais impossíveis de você mesmo gostar. Nosso cérebro seleciona só a nata, o negócio vai de “Take On Me” do A HA a “Ela Vai de Saia e Bicicletinha, uma mão vai no guidão e a outra tapando a calcinha…” de (graças a deus!) não sei de quem. É um inferno! Sempre usei uma técnica (nunca revelada antes, assim, tão publicamente) que, para mim, é super eficaz: cantar alguma música do Continue lendo

Isso mesmo, Liam anunciou que sua ‘nova’ banda levará este nome, termo que significa “olho atento”. A banda é formada por todos os ex’s integrantes do Oasis [exceto o Noel, né]: Gem Archer, Andy Bell, Chris Sharrock e, claro, Liam Gallagher. Já estão inclusive no estúdio trabalhando em material inédito com o produtor Steve Lillywhite [que possui um currículo fodão bom demais com as bandas Rolling Stones, The Smiths, U2 e Talking Heads…] Não escondo minha tristeza pelo término do Oasis mas, como grande fã que sou, apoio e continuo com grande admiração por tudo que eles fazem, independente da onde Continue lendo

Stereophonics lança “Keep Calm and Carry On”, o sétimo trabalho da banda que chegará às lojas em novembro. O trio apresenta as músicas novas em um show no Castelo de Cardiff, no País de Gales, em outubro. A primeiro hit se chama Innocent. É um verdadeiro single, não há como negar. Voz, ritmo, letra e som – perfeição. Daquele tipo que é quase impossível não balançar o pezinho e sorrir ao ouvir, sabe?  [Stereophonics é uma banda criada em 1992, composta originalmente por Kelly Jones, Richard Jones e Stuart Cable. Em 2003, o baterista Stuart Cable sai do grupo, sendo substituído Continue lendo

21.08.2009

Muse é uma banda de rock alternativo britânica de Teignmouth, Devon. Formada em 1994, a banda foi originalmente chamada Rocket Baby Dolls. Os integrantes: Matthew Bellamy (vocal, guitarra,  piano, teclado, sintetizador e  compositor -gênio!), Christopher Wolstenholme (baixo, voz secundária e teclado) e Dominic Howard (bateria e percussão). O estilo dos Muse é um misto de vários gêneros musicais: rock alternativo, música clássica e uma pitadinha de electrônica. A banda já lançou cinco álbuns de estúdio com o primeiro, Showbiz, saiu em 1999, seguido de Origin of Symmetry em 2001 e Absolution em 2003. O álbum de maior sucesso foi Black Holes Continue lendo