Sinto muito, mas não sinto nada. Ela disse e partiu. Talvez nunca mais a veja, mas seu cheiro continua por aqui. Jamais esquecerei seu tom de voz carregado em bom e mau humor. Seu riso solto. Seu salto falho. Seu perfume forte. Sua falta de sorte. Sinto muito, mas não sinto nada. Não é do tipo que sente mesmo. Melhor assim.

– Eu adoro a chuva. – Eu adoro você. – Eu adoro trovões. – E eu adoro a tua boca. – Para! – Você não acredita em uma palavra que eu digo? – Eu acredito… Em algumas. – Eu não te entendo. – Não precisa. – Você se fecha aí. – Vai começar… – Foge de mim. – Veja bem. – É verdade. – Verdade que não é mentira. – Sempre tem uma respostinha na ponta da língua. – Afio todo dia. – Tá vendo? – Não. O quê? – Como é insuportável. – Mas você gosta. – Gosto. – Continue lendo

19.01.2015

Um dia vou escrever um texto com o seu nome Escrever letra por letra até completar Deixar claro tudo o que eu sempre quis dizer Deixar claro tudo o que eu sempre quis contar Um dia faço uma prosa ou um poema Quem sabe um verso Contar desde a primeira vez que meu olhar cruzou com o seu E como ele parecia disperso Um dia mostrarei como foi estar perto e longe de você Um dia vou escrever um texto com o seu nome Derramar todas as palavras que sempre foram pra você E de mais ninguém Não hoje Não Continue lendo

22.09.2014

Quero ser teu abraço, Tua verdade. Quero ser tua bebida, E tua sobriedade. Quero ser teu ponto fraco E também o mais forte. Quero ser tua vida Sem medo da morte. Quero ser tua música, Tua vontade de dançar. Quero ser tua saudade E até um pouco do ar. Quero ser teu silêncio E também teu barulho. Quero ser tua sabedoria, Quero ser teu orgulho. Quero ser teu corpo, Quero ser tua alma. Quero ser teu movimento E também tua calma. Quero ser teu cigarro E quero ser tua cama. Quero ser tua, só tua Àquela que te ama. Adriana Continue lendo

20.08.2014

— Eu preciso me livrar de você. — Mas você nunca me teve. — Por isso mesmo. — Isso o quê? — É autoexplicativo. — Você é complicada. — Eu? — Tá, e vai fazer o quê? — Pensei em desovar seu corpo num lugar aqui perto. — Legal, agora tô tranquilo. — Pode ficar. — Não quero que se livre de mim. — Mas também não quer o contrário. — Isso é verdade… — Eu entendo. Eu sei como é. — Eu sei que você sabe. — Afinal, você, de algum jeito, consegue saber tudo sobre mim. — Isso Continue lendo

16.05.2014

Sob o edredom de cor azul anil Um amor e um revólver Bala que enrosca na garganta E arde Descarte Sob algum signo inconstante que te enlaça Agora vejo meu lado mau sedento De mim De você Mate

25.03.2014

Pingos caem da chuva Carros colidem na rua Malandros surrupiam as carteiras Homens pagam por putas Mãos seguram teu copo Mãos seguram teu corpo Lábios te cercam pela nuca Lábios te cercam como nunca O tempo nada apaga Quando a memória é vingativa Eu seria feliz se te visse de novo Se ainda ouvisse teus passos pelos corredores Mas isso antes de eu ter colocado Àquela comida suculenta no teu prato Adriana Cecchi