Olha só, preciso contar que sou uma pessoa um pouco frustada quando o assunto é desenhar. Eu amo, sempre amei. Já fiz aulas e tenho um caderno que me orgulho muito cheio de desenhos que nem eu mesma acredito ter feito. MAS hoje a parada é diferente. Minha imaginação ficou bem restrita e o máximo que consigo fazer é rabiscar letras de músicas ou caracóis abstratos. Tenho, pelo menos, uns três sketchbooks lindos e amados, mas que não são usados! E, no meio desse drama todo, eu encontro o sketchbook perfeito! O Walls Notebook não é um caderno comum, ao Continue lendo

13.07.2011

Falar de máquina de escrever nos dias de hoje é assunto pra lembrar de trambolho antigo ou algo que não serve mais pra nada. Os que nunca viram uma nem imaginam o quanto era difícil usá-la para escrever um simples texto em uma folha. Eu sempre tive uma paixonite por elas, logo que os computadores começaram a se popularizar, eu dizia que não queria pc nenhum, eu queria uma máquina de escrever. Feliz, tinham duas em casa e eu me divertia com elas. Mas agora o que a Keira Rathbone faz com elas é sacanagem! A artista londrina reproduz paisagens, Continue lendo

Você ainda usa talão de cheques? E gosta de arte? Pois então deveria dar uma conferida neste no site The Playcheck, é uma galeria de arte digital que convida todo mundo a dar uma nova ‘cara’ aos antigos talões…

O super designer misturou tipografia, ilustração e gastronomia. Isso mesmo, misturou tudo com co-mi-da! A série de ilustrações, Ampersand Food Groups, são feitas das combinações mais perfeitas entre pratos, acompanhamentos ou bebidas – por isso de usar “&“! (Uma coisa tipo Sandy & Junior, brincadeira). Dá uma olhada: Mais trabalhos aqui!

Quem me conhece sabe o quanto eu gosto de caveiras. Sou completamente tarada por tatuagens, mesmo não tendo nenhuma-nenhuminha no corpo. Mas isso é uma questão de tempo (não é mesmo?), tenho todos os desenhos e é SÓ fazer. A paixão pelas skulls é loooonga, desde nem sei quando. Sempre gostei de histórias sobre piratas e coisas que tinham vidros de veneno (uma criança um tanto quanto… deixa pra lá), ficava rabiscando pela casa, caderno e afins uma coisa que eu chamava de caveira. Cha-ma-va! Semana passada encontrei um desses desenhos e MEU DEUS! Era uma coisa totalmente torta e Continue lendo

Paul Lung tem 38 anos e desenha absurdamente bem!  Ele passa em média 60 horas em cima de cada um desses desenhos que mais parecem belas fotografias. É uma perfeição feita com nada além de grafite e papel. Tenho que concordar que senti uma invejazinha dele, sabe, eu sempre quis [saber] desenhar e tal, até arriscava uns rabiscos loucos e fingia que tava tudo lindo. Mas isso… isso é muita arte! Para ver mais trabalhos do Paul, clique aqui.