O fotógrafo russo Sergey Larenkov mesclou fotografias antigas, tiradas durante a época da Segunda Guerra Mundial, e as sobrepõe com seus respectivos ambientes nos dias de hoje, formando uma só imagem. O resultado final dá uma sensação meio fantasmagórica, mas é genial! Confira:

Um lutador de lucha libre? Um açougueiro? Ou, quem sabe, o Papa? Melhor nem se preocupar com nisso e deixar que o tempo diga o que ele vai se tornar. E, pensando nisso, o fotógrafo francês MondayMonday criou uma série “Un jour, mon enfant tu seras” (Um dia, meu filho será) com bebês vestidos como adultos em diversas profissões. Eu só senti falta de um bebê rockeirinho, sabe.

Técnicas da fotografia publicitária pra deixar os sanduíches com uma aparência surreal, afinal ninguém quer ver lanche destroçado no cardápio, não é mesmo? Correspondendo ou não com a realidade, não sei vocês, mas eu fiquei com fome! [youtube video=rSRFuFv5VMM] O blogueiro Jeff Kay também fez um projeto no qual comparava as fotos publicitárias com as reais, veja: Big Mac do McDonald’s

Por definição, Tríptico é um conjunto de três pinturas unidas por uma moldura tríplice (dando o aspecto de serem uma obra), ou somente três pinturas juntas formando uma única imagem – abraços da Wikipédia. Seguindo nessa ideia, o fotógrafo alemão, Adde Adesokan criou um projeto chamado Triptychs of Strangers. Adesokan tirou três fotos de diferentes partes do corpo de determinada pessoa formando o tríptico do estranho e o resultado é incrível, veja:

A fotógrafa japonesa Natsumi Hayashi ficou famosa na internet depois que começou a postar fotos de si mesma levitando por Tóquio. Não é mágica não, Natsumi define o temporizador da câmera (ou pede para um amigo fazer os cliques) e manda ver, começa a saltar pelos lugares e ainda faz cara de super natural em poses perfeitas, como se ela realmente flutuasse. Fico cansada só de imaginar quantas vezes ela teve que pular pra conseguir uma levitação bem feita, li que ela chegou a saltar 300 vezes pra uma só foto. Haja perna!