“Havia duas pessoas na sala, mas nenhuma delas deu a menor atenção à maneira como eu entrei, ainda que somente uma delas estivesse morta.” 1. AUTOR “O Sono Eterno” foi o primeiro livro de Raymond Chandler (1988 – 1959), o mestre da literatura policial noir – publicado em 1939 – tornou-se uma referência para todas as histórias policiais que surgiriam a partir de então, especialmente no que diz respeito ao estilo da escrita e nas atitudes que atualmente são características do gênero. 2. GÊNERO Numa tradução literal, literatura noir é como os franceses – fãs do gênero – batizaram a Continue lendo

Uma adaptação em HQ da obra-prima de Bioy Casares Estava bastante curiosa para conhecer a Série Quadrinhos da L&PM (que tem clássicos, como: Viagem Ao Centro da Terra, Dom Quixote, Odisseia, Um Conto de Natal, entre outros) e recebi em parceria A Invenção de Morel, um romance de Adolfo Bioy Casares adaptado para os quadrinhos por Jean-Pierre Mourey. Publicado em 1940, A Invenção de Morel é considerado ao mesmo tempo o clássico inaugural e a grande obra-prima da literatura fantástica em língua espanhola. Cultuado por sua premissa admiravelmente original, a história do fugitivo da Justiça refugiado em uma ilha deserta que de Continue lendo

Em um poema publicado postumamente, Charles Bukowski (1920-1994) escreveu que teria tido êxito na vida “se vocês lerem isso muito tempo depois de eu morrer”. E, olha só, aqui estamos. O Velho Safado era um grande escritor e um grande poeta, entre  livros de crônicas, memórias e romances de Charles Bukowski, eu sempre tive uma tendência maior a apreciar seus poemas. As Pessoas Parecem Flores Finalmente é o quinto (e último) volume póstumo do autor composto integralmente por poemas inéditos. Sem muitas regras, as obras do velho Buk não demonstram demasiadas preocupações estruturais. Estilo livre, escrita imediatista e temas de caráter autobiográfico, Continue lendo

Um livro que se auto-recomenda. Eu realmente não precisava dizer nada sobre ele, o título e o autor já dizem por si mesmos, mas como conselho é bom e a gente gosta, vamo lá: Arthur Schopenhauer (1788-1860) é um dos mais importantes filósofos alemães. Ele achava que o mundo nada mais era do que uma representação formada pelo indivíduo e influenciou grandes nomes como Freud, Nietzsche, Bergson, Einstein (!!!), entre outros. Conhecido por seu pessimismo, tinha idealismo kantiano e foi o responsável por introduzir o budismo à metafísica alemã. Fiz um vídeo bate-papo sobre o livro apontando os pontos principais de Continue lendo