Pensamentos ruins têm me rondado Não há nada que eu possa fazer Ou mesmo queira Eles me ajudam a segurar este fado Lamento o meu estado Sinto o tempo passar Ponteiros giram como Um velocímetro descompensado De olho fechados, bem fechados Agraciados Coitados Pouco ansiados, nada ansiados Meu calendário é um confuso emaranhado Não sei que dia é hoje Melhor assim Estou tão cansado Desnorteado Ainda não me encontrei E sei que não irei Não é por malgrado Prestes a cometer um dito pecado Caio, afundo feito uma âncora Pra baixo e sempre Focado Até o fim O que for Continue lendo

09.09.2013

Deitei, eram 22h10. Peguei o livro no criado-mudo, o marcador não estava nem perto da metade. Abro, página 81: “Florence entrou na sala de jantar: – Boa noite – disse (…)” Boa noite. As letras começam a se distanciar, as palavras perdem o sentido. Leio a frase, mas que frase? Não existe mais pontuação. Preciso cumprir toda a lista de tarefas do trabalho. Metas. Prazos. Hum, que vontade de comer aquele mesmo doce que comi ontem no almoço. Não posso esquecer de comprar o presente de aniversário da Fulana, é semana que vem. Que merda, esqueci de dar parabéns pro Continue lendo

Não, este post não é sobre gramática nem tão pouco sobre o ponto usado para caracterizar o personagem Charada do Batman. Não é o sobre estreia de filme e também não é o nome de alguma banda que descobri recentemente. É um pouco mais do que isso. Ou menos? Acho que diante das circuntâncias tanto faz. Na verdade há algum tempo noto alguns pontos de interrogação martelando em minha cabeça. Até a falta deles faz com que apareçam outros e outros. O que fazer? Como agir? O que procurar? Ir ou não? O que eu quero? Espero um pouco mais? Continue lendo

08.07.2009

Achei esse texto num blog meu um pouquinho mais antigo. Sinto falta Sinto. Sinto e é muita essa falta. Paro e penso na minha vida, em tudo que já passei e que fiz. Nada de muito complexo nisso. Há 19 anos muita coisa mudou, se transformou, progrediu e melhorou. Mas eu sempre achei (e acho) que não aproveitei muito as oportunidades que tive. Tudo tem sua época, e eu deveria ter pensado nisso antes de jogá-las pela janela. O que passou, passou, e não vai mais voltar. Nunca mais. Infelizmente… Mas eu sinto uma falta tão grande… De ter toda Continue lendo