“Às vezes, tudo o que você precisa é permissão para sentir.” O que significa a solidão? Como vivemos sem estar envolvidos intimamente com outro ser humano? Como nos conectamos a outras pessoas? A tecnologia nos aproxima ou nos aprisiona atrás de telas? Quando se mudou para Nova York, aos trinta e tantos anos, Olivia Laing se tornou uma habitante da solidão. Cada vez mais fascinada com essa experiência das mais vergonhosas, ela começou a explorar a cidade solitária por meio da arte. Movendo-se com fluidez entre obras e vidas – de Nightwalks de Edward Hopper às Time Capsules de Andy Continue lendo

“Todo mundo tem pelo menos um pouco de loucura rolando logo abaixo da superfície.” De cara, o título me despertou muita curiosidade pra essa leitura. Placebo Junkies conta a história da Audie, uma jovem como qualquer outra, que encontrou uma forma incomum de descolar uns trocados: ela serve de cobaia para a indústria farmacêutica. Em suas próprias palavras: “Você não chega aqui a bordo do espress yuppie, sabe? Se você está disposto a vender a pele aqui, há grandes chances de que você provavelmente já a tenha vendido de algum outro jeito, em algum outro lugar.” A premissa é bastante interessante, nunca Continue lendo