“Certa noite, meu pai perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma…” (p. 9) Você sabia que, por mais fantásticas que pareçam, as noivas fantasmas ainda resistem até hoje em parte da cultura asiática? Pois é, a prática, que chegou a ser banida por Mao Tsé-Tung durante a Revolução Cultural, foi muito frequente na China e na Malaia (hoje Malásia) no final do século XIX. O casamento era usado para tranquilizar um espírito inquieto, e garantir um lar e estabilidade para as mulheres que diziam sim a maridos já falecidos. E é esse o pontapé inicial da história de Continue lendo

No momento, estou lendo Noiva Fantasma, livro de  Yangsze Choo,  recebi um compilado da Darkside Books com perguntas de leitores pelas redes sociais para a autora. Deu ainda mais vontade de continuar a leitura! Yangsze Choo responde: Descreva A Noiva Fantasma em 140 caracteres ou menos. Malásia colonial, 1890. Uma jovem chinesa recebe proposta de casamento com o filho de uma família rica. O único problema: ele está morto. Você pode explicar o conceito de um “casamento fantasma”? A tradição geralmente acontecia para apaziguar espíritos ou reparar relações familiares. Há várias alusões na literatura chinesa, mas suas raízes parecem vir de Continue lendo