“Certa noite, meu pai perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma…” (p. 9) Você sabia que, por mais fantásticas que pareçam, as noivas fantasmas ainda resistem até hoje em parte da cultura asiática? Pois é, a prática, que chegou a ser banida por Mao Tsé-Tung durante a Revolução Cultural, foi muito frequente na China e na Malaia (hoje Malásia) no final do século XIX. O casamento era usado para tranquilizar um espírito inquieto, e garantir um lar e estabilidade para as mulheres que diziam sim a maridos já falecidos. E é esse o pontapé inicial da história de Continue lendo