Arctic Monkeys – You’re So Dark

De acordo com o dicionário, morbidez é a manifestação de fascínio com assuntos considerados sinistros ou trágicos, como por exemplo a morte. Não sei quanto a vocês, mas eu sou constantemente chamada de “mórbida” pelas pessoas. Assim, não nego.

3 livros e uma dose de morbidez

Sorte minha não estar sozinha nesse mar mórbido e vamo nessa desmitificar tabus.

Veja também: minha coleção Crime Scene e Livros sobre Psicopatas

Minha última leitura fez com que esse post surgisse, a seguir, 3 dicas de livros para quem tem um gostinho ligeiramente peculiar.

CONFISSÕES DO CREMATÓRIO

Um livro para quem planeja morrer um dia

Confissões do Crematório

“Embora você possa nunca ter ido a um enterro, dois humanos do planeta morrem por segundo. Oito no tempo que você levou para ler essa frase.” E é assim que Caitlin Doughty inicia o capítulo “Palitos de Dente em Gelatina” no livro Confissões do Crematório, a minha última leitura e lançamento caprichado da DarkSide Books.

Caitlin Doughty é agente funerária, escritora e tem um canal no YouTube, em Smoke Gets in Your Eyes (Confissões do Crematório), a autora relata diversas memórias da época em que trabalhou em um crematório, todas com bom humor sobre a morte e as práticas da “indústria da morte“.

O livro reúne histórias reais do dia a dia de uma casa funerária, inúmeras curiosidades e fatos históricos, mitológicos e filosóficos. Caitlin começou a trabalhar no crematório aos 23 anos e, ao mesmo tempo em que barbeava e incinerava cadáveres, tirava lições de vida com a morte, irônico, não é mesmo? Enquanto varre as cinzas das máquinas de incineração ou explica com o que um crânio em chamas se parece, ela desmistifica a morte para si e para seus leitores.

Confissões do Crematório

Confissões do Crematório

“Eu me tornei funcionalmente mórbida, obcecada pela morte,
por doenças e por trevas, mas ainda era capaz de passar
por uma estudante quase normal.”

Enquanto a maioria das pessoas preferem evitar pensar em morte e/ou ver corpos mortos, a autora compartilha o seu fascínio e como foi o seu primeiro encontro direto com a morte, ainda era criança, viu outra menina cair de uma altura de 10m de uma escada rolante. O som da queda, o baque terrível, ficou em sua memória e se repetiria por um bom tempo. Durante sua infância considerava apenas um “batuque”, hoje explica que esses baques são chamados de sintomas de síndrome de estresse pós-traumático.

“Somos animais glorificados que comem, cagam e estão fadados a morrer.
Não somos nada mais do que futuros cadáveres.”

Continue lendo

O blog agora tem parceria com a Globo Livros, selo Biblioteca Azul ❤ em breve muitas novidades!

A começar com dois sorteios para vocês:

Globo Livros

O caso Meursault, de Kamel Daoud

Romance vencedor do Goncourt, principal prêmio literário da França, O caso Meursault, do jornalista e escritor argelino Kamel Daoud, é lançado no Brasil pela Biblioteca Azul, depois de ter sido aplaudido pela crítica francesa e de ter seus direitos vendidos para mais de 20 países.

O romance tem como ponto de partida um dos maiores clássicos da literatura francesa no século XX, O Estrangeiro, de Albert Camus, cuja trama é reconstruída sob o ponto de vista do homem assassinado por Meursault, o personagem central da obra camusiana. Sem voz nem nome no livro do escritor francês, o árabe morto recupera a identidade na narrativa de Kamel Daoud.

O Caso Meursault

Com prosa irônica e cortante, o escritor faz evocar, na figura de Meursault, o próprio Camus. No momento em que o leitor revisita o narrador de O Estrangeiro ouvindo a voz de seu próprio autor, Kamel Daoud transforma sua ficção em um espaço livre, sem censura, para pensar a questão do colonialismo e os impasses da Argélia pós-independência.

Livro no Skoob

SORTEIO
a Rafflecopter giveaway

Continue lendo

O canal do YouTube Mr. Sunday Movies fez um vídeo mostrando e contando todas as mortes que o Coringa causou no cinema.

coringa

No vídeo, um envelhecido Bruce Wayne assiste a todos os assassinatos de seu inimigo, sejam eles cometidos nos live action BatmanBatman – O Cavaleiro das Trevas ou nos longas em animação Batman Contra o Capuz VermelhoBatman: O Cavaleiro das Trevas – Parte 1 e 2Batman: Assalto em Arkham, Batman: A Piada Mortal (clique para ver o vídeo sobre o filme A Piada Mortal), entre outros.

O polêmico Esquadrão Suicida ficou fora da lista, o vídeo foi publicado um dia depois da estreia do longa.

A conta foi grande, veja:

VEJA TAMBÉM: contagem de mortes no filme John Wick

Festival reúne The Offspring, Dead Kennedys,
Anti-Flag e Dona Cislene em Setembro

rock-station-offspring

A banda americana The Offspring volta ao Brasil para se apresentar no festival “Rock Station”, que vai acontecer no dia 1ºde setembro de 2016, no Espaço das Américas, em São Paulo.

Direto da Califórnia, o The Offspring volta ao Brasil com um show que fará um apanhado de toda a carreira do grupo. Foi nos anos 90 que a banda de Dexter Holland e Greg K. explodiu mundialmente com hits como “Come Out and Play”, “The Kids Arenʼt Alright” e “Self Esteem”.

O grupo tocará ao lado de Dead Kennedys, Anti-Flag e dos brasileiros da Dona Cislene.

EVENTO NO FACEBOOK

Festival Rock Station 2016

Quando: 01 de Setembro
Quem: The Offspring, Dead Kennedys, Anti-Flag e Dona Cislene (DF)
Local: Espaço das Américas Rua Tagipuru 795 – Barra Funda São Paulo – SP
Horário: 19h – abertura do festiva

Ingressos
Venda Online https://www.ticket360.com.br/evento/5624/the-offspring
Venda Física na bilheteria do Espaço das Américas: das 10h às 19h. (11) 3864-5566 | (11) 3868-5860

Preços
Pista: R$ 240 (inteira) / R$ 120 (meia) Mezanino: R$ 440 (inteira) / R$ 220 (meia) Budzone: R$ 440 (inteira) / R$ 220 (meia)

Stoner movies. Uma lista com cinco filmes para ver chapado, sentar no sofá, ficar de boa e relaxar mentalmente. Todos estão disponíveis na Netflix. Boa viagem!

(Certamente, esse post terá parte 2, e 3, talvez, 4…)

PINEAPPLE EXPRESS (2008)

Pineapple Express

Segurando as Pontas. Dale Denton (Seth Rogen) é um cara ligeiramente preguiçoso e só tem um motivo para visitar o negociante (igualmente preguiçoso) Saul Silver (James Franco): comprar erva, especificamente uma preparada de maneira rara conhecida como Pineapple Express.

Mas, quando Dale se torna a única testemunha do assassinato de um policial e o vendedor de drogas mais perigoso da cidade, ele se desespera e acaba deixando sua Pineapple Express no local do crime. Agora, Dale tem outro motivo para visitar Saul: descobrir se a erva é tão rara que, se descoberta, poderá levar até ele. Curiosidade: a palavra “fuck” e seus derivados são ditas 180 vezes no decorrer do filme.

Só de pensar nesse filme, eu começo a dar risada.

Filmow | Trailer

 

THE BIG LEBOWSKI (1998)

The Big Llebowski

O Grande Lebowski. Dirigido pelos irmãos Cohen, o filme traz Jeff Bridges  no papel de Jeff Lebowski – mas ele prefere ser chamado de Dude (O Cara) -, um maconheiro desempregado que curte ‘não fazer nada’, além de ouvir música e jogar boliche. Sua vida vai muda quando é confundido com um milionário da Califórnia, Dude se vê envolvido em mil-tretas-tretas-mil com advogados, sequestradores, bandidos e até a polícia. Com sua vida ameaçada Jeff procura seu amigo Walter (John Goodman), que é veterano do Vietnã e irá ajudá-lo com seus métodos pouco ortodoxos.

Filmow | Trailer

Continue lendo

Early Auden (Em Algum Lugar Nas Estrelas) é considerado um garoto peculiar aos olhos de muitos. Vive sozinho em um cômodo do internato e costuma contar jujubas por cores quando fica nervoso. Além disso, o menino Early também tem algumas regras musicais bastante específicas: ouvir Louis Armstrong às segundas, Frank Sinatra às quartas, Glenn Miller às sextas, Mozart aos domingos e Billie Holiday sempre que estiver chovendo.

O comportamento de Early, é um dos muitos indícios da síndrome de Asperger, uma forma branda de autismo, que só seria descoberta muito tempo depois da Segunda Guerra, e que inspirou personagens já clássicos como o Sr. Spock (Star Trek), o Dr. House e Sheldon Cooper (The Big Bang Theory).

A DarkSide Books lançou dois livros que abordam o assunto de formas bem diferentes e interessantes (e em duas edições lindíssimas, diga-se de passagem) são eles: Em Algum Lugar Nas Estrelas, de Clare Vanderpool e O Menino Que Desenhava Monstros, de Keith Donohue.

EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas

Em-Algum-Lugar-nas-Estrelas

Década de 40, fim da Segunda Guerra Mundial. Em Algum Lugar Nas Estrelas, da autora Clare Vanderpool, é um romance sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença.

O livro traz a história de Jack Baker, cuja mãe faleceu recentemente e foi enviado para um internato militar no Maine pelo próprio pai – um soldado-, que, inclusive, nunca lhe deu a devida atenção. Um turbilhão de sentimentos e bruscas mudanças deixam Jack deprimido, fazendo com que ele se sinta completamente solitário naquele novo lugar. Até que ele conhece Early Auden, o “garoto peculiar” que descrevi no começo do post.

Clique para ver o livro sendo folheado pela Anna Costa Continue lendo

É isso aí, minha gente, tamo de volta com os filmes assistidos do mês e breves comentários sobre cada um. Vou colocar em ordem cronológica, obviamente, isso não é mérito da minha memória, e sim, do Filmow. Inclusive, sigam-me os bons.

1 – Invocação do Mal 2; James Wan

Invocação do Mal 2

Deus abençoe o James Wan! Na trama, o casal WarrenLorraine (Vera Farmiga) e Ed (Patrick Wilson), vão para a Inglaterra investigar uma família que não está lá muito feliz com as eventuais manifestações que estão ocorrendo na casa e mais diretamente com uma das filhas. Não gosto de ficar comparando, mas achei o segundo tão bom quanto o primeiro, por mim The Conjuring virava uma franquia sem fim. O terror trabalhado na medida certa, sem exageros. Por mais que a história pareça um grande clichê, Wan trabalha com isso ao seu favor.

A história do filme é baseada no caso Enfield Poltergeist, registrado no final da década de 1970.

O Makson do canal Mas Que Horror fez um vídeo falando tudo o que eu queria ter falado sobre o filme:

 

2 – Boneco do Mal; William Brent Bell

THE BOY

Não ouvi muitos comentários bons sobre o filme, mas devo dizer que ele foi melhor do que eu esperava. The Boy é bem ok e cumpre a sua proposta de thriller. Na trama,  uma moça americana, Greta (Lauren Cohan), arruma um trabalho temporário de babá em uma pequena vila inglesa. O problema é que o tal garoto não é um garoto, e sim, um boneco. Um boneco bem tenebrosinho, diga-se de passagem. E os pais cuidam do boneco como se fosse um menino de verdade, essa foi a maneira com que o casal encontrou para lidar com um evento trágico 20 anos antes, a morte do filho.

Tudo é bem estranhão nessa casa (não tinha como ser diferente, né) e, além de tudo, Brahms (o filho-boneco) tem uma lista de tarefas que deve ser cumprida todos os dias. Greta, que está aparentemente fugindo de um passado conturbado e quer distância dos EUA, aceita o emprego, mas é aquilo dos terror… Ela mal sabe o que está por vir.

 

3 – V de Vingança; James McTeigue

V

Chega a ser chato o tanto que falo de V de Vingança, seja o filme ou a HQ, mas vamo que vamo. Esse mês eu reli a história do deus-supremo Alan Moore e, como gosto de trabalhar com excessos, resolvi rever o filme também.

Clique aqui para assistir ao vídeo 5 HQs do Alan Moore que você deveria ler

Numa Inglaterra do futuro, regime totalitário e zero liberdade de expressão, surge um homem mascarado com ideias à prova de bala, V! No filme, V está mais para terrorista do que anarquista (como é na HQ), mas tá valendo todo o meu amor pelas duas obras. Pretendo fazer um post especial sobre V for Vendetta, fiquem no aguardo.

 

4 – O Sinal – Frequência do Medo; William Eubank

O Sinal - Frequencia do Medo

Dava pra ser um filme muito loco? Dava. Três amigos (Jonah e o casal Nic e Haley) fazem uma parada inesperada no meio de uma viagem para encontrar um “hacker” que invadiu os computadores do MIT e expôs uma série de falhas de segurança. Eles vão para uma área isolada e aí PLAU, né, danosse. Nic acorda e se vê numa espécie de hospital/laboratório e a única ponte de comunicação é Damon, interpretado por Laurence Fishburne, o eterno Morpheu de Matrix.

70% do filme trabalha num thriller bem legal que você fica SOS QQ TA ACOM TECENO, mas, pelo menos pra mim, o final foi preguiçoso. Seria um bom final se ele tivesse explorado melhor ao que se propôs.

 

5 – The Invitation; Karyn Kusama

The Invitation

Uma grata surpresa! Uma tragédia abala o casal Will e Eden, eles perdem o filho pequeno e, desolada, Eden vai embora sem dar notícias. Dois anos mais tarde, ela volta a procurar o marido, acompanhada de outro homem, e totalmente diferente de como era antes. Eles convidam Will, sua atual namorada e todos os amigos de longa data para um jantar.

Junto à nostalgia trazida pela casa onde morava e as dores afloradas da perda, Will (Logan Marshall-Green) começa a suspeitar que alguma coisa errada está acontecendo. Contesta a todos e repara nos mínimos detalhes. O roteiro é simples, mas a trama é muito bem trabalhada na tensão. Fãs de suspense vão gostar!

 

6 – Amizades Improváveis; Rob Burnett

The Fundamentals of Caring

Benjamin (Paul Rudd) é um escritor que dá uma pausa em seu trabalho depois de sofrer uma tragédia pessoal. Em seguida, ele decide ocupar o tempo em um curso para cuidar de pessoas com deficiência física, tornando-se cuidador de Trevor Conklin (Craig Roberts), um jovem de 18 anos que sofre de distrofia muscular.

Trevor esbanja sarcasmo e humor negro e Benjamin rebate umas e outras, não deixando de falar boas verdades ao garoto. Depois que decidem fazer uma viagem é que a relação entre os dois se torna mais próxima e ambos vão aprender muito um com o outro. The Fundamentals of Caring é um filme leve, divertido e bonito.

 

7 – Ponto Final: Match Point; Woody Allen

match point

Tudo isso não vai acabar bem, como Woody Allen sinaliza no começo do filme, quando mostra Chris folheando Crime e castigo, de Dostoievski. Na trama, Chris Wilton (Jonathan Rhys-Meyers) é um jogador de tênis profissional que, cansado da rotina de viagens, decide abandonar o circuito e se dedicar a dar aulas do esporte em um clube de elite. É lá que conhece Tom Hewett (Matthew Goode), filho de família rica que logo se torna seu amigo devido a alguns interesses em comum. Convidado para ir à ópera, Chris lá conhece Chloe (Emily Mortimer), irmã de Tom. Logo os dois iniciam um relacionamento, para a alegria dos pais dela. Só que Chris fica abalado quando conhece Nola Rice (Scarlett Johansson), a bela namorada de Tom que não é bem aceita pela mãe dele.

Revi Match Point, que é um dos meus filmes favoritos, e nele Woody Allen foge de sua marca cômica e atrela ao drama a teoria da sorte como principal responsável para o rumo dos acontecimentos. Nesse filme, além da sorte, refletimos sobre os limites dos seres humanos diante de situações críticas.

 

8 – Asthma; Jake Hoffman

asthma

O filme para aqueles que compartilham do famigerado desgraçamento da cabeça. Na real, é bem leve a nível desgraçador, um drama simples e curtinho, mas que pode trazer algumas reflexões a quem possa se identificar.

A princípio, Gus (Benedict Samuel) é um forasteiro que vive sem regras, viciado em drogas e que luta para escapar de si mesmo. Conhece Ruby (Krysten Ritter) ao acaso e adquire uma paixonite pela moça tatuada. O filme chama Asthma porque Gus tem asma, o sintoma sufocante da doença é também uma metáfora ao sentimento constante que o rapaz tem pela vida.

Me adicione no Filmow

Se você assistiu alguns dos filmes acima e quiser conversar, me chama! ;)

Traços simples, fungos fofinhos e papo de gente grande!

Fungos

Dois fungos caminham por um pântano inóspito e refletem sobre a vida, suas crenças religiosas e a internet no mais recente lançamento da editora Mino.

Fungos é o primeiro trabalho de James Kochalka publicado no Brasil. Vencedor dos prêmios Eisner, Ignatz e Harvey, o autor de 48 anos é considerado uma das grandes lendas da indústria norte-americana de quadrinhos. Em 1998, com a série American Elf, Kochalka foi um dos primeiros artistas a utilizar a internet como plataforma de publicação de seus trabalhos. Conheça o canal de James Kochalka.

“Nos anos 90, enquanto quadrinistas alternativos como Peter Bagge, Daniel Clowes e Chris Ware
ganhavam respeitabilidade como artistas fora do nicho de HQs, Kochalka seguia um caminho antagônico,
tendo ingenuidade e humor como suas bases fundamentais”
site The A.V. Club

Orelha Fungos

Fofurinhas Podres

Com traços simples, as estrelas desta obra são integrantes do reino fungi. As histórias são bem curtinhas (a primeira delas chama Fofurinhas Podres, foto acima) e todas escritas e desenhadas por Kochalka.

O quadrinista criou diversas analogias, imaginando situações e conceitos modernos no ‘mundo’ dos fungos.

Os gêmeos Winklemofoss, por exemplo, se dizem os criadores do Facebook, mas não sabem explicar o conceito da tal rede social para ninguém. Com certeza uma das minhas histórias favoritas do quadrinho:

Facebook

Facebook

As histórias são muito divertidas e os personagens nos cativam pela ingenuidade.

Fungos é um desenho animado para todas as idades

Continue lendo